Sinal de Alerta: ácido aristolóquico (potente cancerígeno e nefrotoxina)

Por Julino Soares

Aristolochia elegans

Segundo alerta publicado pela agência americana de regulação sanitária, o Food and Drug Administration (FDA), foi aconselhado aos consumidores interromper imediatamente o uso de qualquer produto botânico que contenha o ácido aristolóquico. Estes produtos podem ser vendidos como “medicamentos tradicionais” ou como ingredientes de suplementos alimentares.

O ácido aristolóquico é encontrado principalmente em espécies do gênero Aristolochia (ver espécies em: FDA – http://www.accessdata.fda.gov/cms_ia/importalert_141.html), mas também podem estar presentes em outras plantas. O consumo de produtos que contêm ácido aristolóquico tem sido associado com danos permanentes nos rins, por vezes resultando em falha renal que tem exigido diálise renal ou transplante de rim.

Outros efeitos tóxicos após doses muito grandes podem incluir taquicardia, pulso fraco, diminuição do tónus do coração, constipação, poliúria e uma inflamação aguda do trato urogenital.

Além disso, alguns pacientes desenvolveram certos tipos de cânceres, mais frequentemente no trato urinário. Além da notificação de casos, é possível encontrar publicações científicas confirmando os riscos associados à Aristolochia sp e ao ácido aristolóquico.

Nota: Sinal de Alerta é uma medida de proteção preventiva, segundo o Centro de Vigilância Sanitária (CVS-SP) um sinal é “Informação notificada sobre possível relação causal entre um evento adverso e um medicamento, sendo que tal relação é desconhecida ou foi documentada previamente, de forma incompleta. Normalmente, mais de uma notificação é necessária para gerar um sinal, dependendo da gravidade do evento e da qualidade da informação”.

 Referências

Food and Drug Administration. Aristolochic Acid: FDA Warns Consumers to Discontinue Use of Botanical Products that Contain Aristolochic Acid [internet]. April 11, 2001. Disponível em: http://www.fda.gov/food/dietarysupplements/alerts/ucm096388.htm Acesso em: 07.06.2012.

Chen C, et al. Aristolochic acid-associated urothelial câncer in Taiwan. PNAS, 109 (21): 2012.

Martinez M-CM, et al. Progression rate of Chinese herb nephropathy: impact of Aristolochia fangchi ingested dose. Nephrol Dial Transplant, 17: 2002.

Micromedex healthcare series. Acesso em: 20.11.2012.

CVS, Centro de Vigilância Sanitária. Sinal de Alerta, Disponível em: http://www.cvs.saude.sp.gov.br/apresentacao.asp?te_codigo=22

Sugestão de Leitura:

Heinrich, M. et al., Local uses of Aristolochia species and content of nephrotoxic aristolochic acid 1 and 2—A global assessment based on bibliographic sources. Journal of Ethnopharmacology 125 (2009) 108–144.

Julino Soares é biólogo, doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo.

Tags:, , , , ,

About Coletivo Curare

Somos um coletivo multidisciplinar de pesquisadores, nas áreas de biologia, naturologia, farmácia e agronomia, com a missão de difundir o conhecimento científico sobre as plantas medicinais, tóxicas e outros produtos naturais.

Deixar um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: